O primeiro índice de autocuidado avalia a preparação global para aumentar a resiliência do sistema de saúde

O primeiro índice de autocuidado avalia a preparação global para aumentar a resiliência do sistema de saúde

Pesquisa inovadora e relatório de política da Global Self-Care Federation identifica os facilitadores essenciais do autocuidado para ajudar a fortalecer a resiliência dos sistemas de saúde e criar melhores resultados de saúde

Baixe o comunicado de imprensa

Genebra, Suíça, 22 de setembro de 2021 – A Global Self-Care Federation (GSCF) anuncia hoje o lançamento de um relatório pioneiro para o autocuidado, o Índice de Preparação para o Autocuidado, desenvolvido com o apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS). O Índice revela fatores críticos – intitulados habilitadores – que influenciam a adoção de práticas e produtos de autocuidado nos sistemas de saúde em todo o mundo, para apoiar um melhor design dos sistemas de saúde e construir uma base para iniciativas orientadas para a ação em todos os níveis.

O Autocuidado é definido pela OMS como a capacidade dos indivíduos de promover a saúde, prevenir doenças, manter a saúde e lidar com doenças e deficiências com ou sem o apoio de um profissional de saúde. O autocuidado é mais importante agora do que nunca. Em uma pesquisa recente da OMS em 135 países e territórios, 90% relataram interrupções contínuas nos serviços essenciais de saúde devido à pandemia.

O Autocuidado produz benefícios avassaladores para os indivíduos e também para os sistemas de saúde – desde o fornecimento de soluções econômicas, acessíveis e eficazes para os indivíduos até a redução da carga sobre os sobrecarregados sistemas de saúde e equipes médicas. Por exemplo, de acordo com um artigo publicado no Jornal Brasileiro de Economia e Saúde (JBES), cada US$ 1 gasto em medicamentos de venda livre economiza US$ 7 para o sistema público de saúde do Brasil. Estudos semelhantes de outros países mostram um efeito comparável.

“A pandemia expôs o quão frágeis são nossos sistemas de saúde. Agora é a hora de investir no futuro deles”, disse Heiko Schipper, presidente da The Global Self-Care Federation. “Eu acredito que o Índice de Preparação para o Autocuidado pode ajudar a fechar a lacuna entre o valor do autocuidado e como ele é praticado em todo o mundo. Precisamos colocar a saúde e o bem-estar dos indivíduos no centro de nossas políticas de saúde para construir formas mais sustentáveis e resilientes de praticar a saúde”.

Um conjunto diversificado de 10 países ao redor do mundo foi analisado para o Índice, no contexto de quatro facilitadores-chave do autocuidado, identificados como apoio e adoção das partes interessadas, empoderamento do consumidor e do paciente, política de saúde e ambiente regulatório. Ao examinar o apoio e a adoção das partes interessadas, as descobertas mostram que mais de 88% dos profissionais de saúde na África do Sul, Estados Unidos, Reino Unido e Egito consideram o autocuidado crucial para ajudá-los a cuidar bem de seus pacientes. Em termos de empoderamento do consumidor, a pesquisa constatou que cerca de um terço dos consumidores no Brasil, Nigéria e Estados Unidos continuam a contar com profissionais de saúde para aconselhamento sobre o uso do autocuidado, o que destaca a necessidade de encorajar os médicos a capacitar os pacientes para praticar o autocuidado.

“A eficácia do autocuidado em combinação com abordagens formais de saúde é frequentemente negligenciada nas políticas de saúde”, comentou Judy Stenmark, Diretora Geral do GSCF. “O Índice é uma ferramenta extremamente prática, pois fornece aos stakeholders amplos dados e um ponto de partida para reconhecer como podem fortalecer as políticas nacionais de saúde e ter uma abordagem coerente para o autocuidado.”

O Index tem como objetivo servir como uma plataforma de aprendizagem para inspirar novas abordagens para o autocuidado. Exige uma ação coletiva para integrar o autocuidado na saúde global e para que um novo pacto global seja estabelecido sobre o autocuidado no nível da OMS, para reconhecer o autocuidado como uma prioridade de saúde global.

Baixe o Índice de preparação para o autocuidado aqui.

Relatório completo em inglês aqui

###

Sobre o Índice de Preparação para o Autocuidado

O Índice de Preparação para o Autocuidado (SCRI) é uma iniciativa de pesquisa e política inédita que explora fatores essenciais para o autocuidado em vários sistemas de saúde em todo o mundo. Tem como objetivo apoiar um melhor design dos sistemas de saúde e construir uma base para iniciativas orientadas para a ação em todos os níveis.

Liderado pela The Global Self-Care Federation (GSCF), o SCRI é apoiado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e faz parte do plano de trabalho atual entre os dois órgãos. A pesquisa inclui uma combinação de metodologia qualitativa e quantitativa aprofundada apoiada por especialistas e um conselho consultivo. Seu objetivo é fornecer dados aos formuladores de políticas, tomadores de decisão e profissionais de saúde e se tornar uma plataforma de aprendizagem inovadora que inspira novas abordagens para o autocuidado.

Embora os níveis de aplicação ou adoção do autocuidado nos países pesquisados sejam semelhantes, as abordagens e prioridades variam. A análise abrangente do índice serve como um ponto de referência para compartilhar experiências e melhores práticas. Também se destina a atuar como um iniciador de conversa e estimular o diálogo construtivo entre os países para refinar as abordagens de autocuidado.

Share this post